Trump: Ataque à Síria pode acontecer "brevemente ou não"

Presidente dos EUA, com declarações mais cautelosas, perguntou ainda onde estava o "obrigado EUA" devido ao trabalho feito para "livrar" a região do Estado Islâmico

Donald Trump voltou a comentar esta quinta-feira uma possível intervenção militar na Síria, dizendo que esta pode "acontecer muito em breve, ou não". No Twitter, o Presidente dos EUA diz ainda que "nunca disse quando aconteceria um ataque" à Síria.

"Contudo, os EUA, sob a minha administração, tem feito um grande trabalho a livrar a região do ISIS. Onde está o nosso 'obrigado EUA'"?, acrescentou ainda Trump.

O líder norte-americano prometeu ações mais concretas na região depois de notícias que dão conta de um ataque químico que terá morto dezenas de pessoas e afetado cerca de 500.

Damasco tem rejeitado responsabilidades pelo incidente e a guerra de palavras entre Washington e Moscovo continua a escalar, visto que a Rússia é um dos aliados de Bashar al-Assad.

Donald Trump já disse, inclusivamente, que os mísseis, "novos, bons e inteligentes", estavam a chegar à Síria. As declarações foram em resposta a Alexander Zasipkin, embaixador russo no Líbano, que disse que quaisquer mísseis norte-americanos contra a Síria serão abatadios pelas forças russas e que as plataformas de lançamento passarão a ser um alvo.

Moscovo advertiu, na passada quarta-feira, contra qualquer ação na Síria que possa "desestabilizar a situação já frágil na região".

"Esperamos que todas as partes evitem qualquer ação que não seria justificada e que poderia desestabilizar a situação, já frágil, na região", disse o porta-voz da presidência russa, Dmitri Peskov, à imprensa.