Tribunal russo lê hoje sentença de piloto ucraniana por morte de dois jornalistas

Nadiya Saychenko está acusada da morte de dois jornalistas russos. Kiev e o Ocidente falam em "farsa política"

Um tribunal do sul da Rússia lê hoje a sentença da piloto ucraniana Nadiya Savchenko, acusada da morte de dois jornalistas russos no leste da Ucrânia, num julgamento considerado por Kiev e pelo Ocidente como "uma farsa política".

Na leitura da sentença, o juiz na cidade de Donetsk resumiu o caso da acusação afirmando que Savchenko "cometeu o assassinato premeditado e por motivos de ódio e inimizade". A piloto arrisca uma pena de prisão que pode ir até aos 23 anos. Vários meios de comunicação compreenderam inicialmente que o juiz dizia que Saychenko era culpada, ficando depois esclarecido que a sentença ainda está a ser lida, alerta a BBC.

Detida em julho de 2014 em território russo, segundo Moscovo, a piloto é acusada de ter transmitido aos militares ucranianos a localização de dois jornalistas russos, que foram mortos.

Nadiya Savtshenko, de 34 anos, acusou os separatistas pró-russos do leste da Ucrânia de a terem capturado em território ucraniano e entregado às autoridades russas.

Na Ucrânia, Savtshenko conquistou o estatuto de heroína nacional após a sua detenção na Rússia, onde arrisca 23 anos de prisão. Foi eleita simbolicamente deputada nas legislativas de 2014, como cabeça de lista do partido da ex-primeira ministra Iulia Timoshenko.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG