Tribunal manda retomar os cuidados a Vincent Lambert, em estado vegetativo há 11 anos

O caso Lambert deu nova volta. Decidida a interrupção dos tratamentos esta segunda-feira de manhã, o tribunal de Paris ordenou à noite a retoma dos cuidados, até que um comité da ONU decida.

Mais uma reviravolta no caso Vincent Lambert, um homem de 42 anos em estado vegetativo desde 2008. Decisões opostas num mesmo dia e que fazem a capa dos jornais franceses.

A alimentação e a hidratação a Lambert foram interrompidas esta segunda-feira de manhã, 20 de maio, por decisão clínica, decisão que os pais contestaram. Recorreram ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos que, à tarde, rejeitou o pedido. Mas o tribunal de recurso de Paris ordenou à noite a retomada dos tratamentos.

O tribunal "ordena ao Estado francês (...) que tome todas as providências para aplicar as medidas provisórias solicitadas pelo Comité Internacional dos Direitos das Pessoas com Deficiência (da ONU) a 3 de maio de 2019 para manter dieta e hidratação", cita a imprensa francesa.

Jean Paillot, um dos advogados dos pais, comentou: "O tribunal de Paris ordenou medidas provisórias, a saber, que a dieta e a hidratação de Vincent fossem retomadas sem demora. Portanto, é uma vitória extraordinária ".

O caso tem provocado um intenso debate em França, nomeadamente entre a classe política. Emmanuel Macron postou uma mensagem no Facebook em que achava que não precisava "interferir" na decisão de interromper o atendimento do ex-enfermeiro tetraplégico. "Não cabe a mim suspender uma decisão que é o julgamento de seus médicos e que está de acordo com nossas leis". escreveu o presidente francês

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG