Atentado em Londres: número de mortos sobe para cinco. 40 feridos

Polícia já tem uma ideia de quem poderá ser o atacante, mas não divulgará mais detalhes por enquanto. Um dos feridos é português

Polícia fez esta noite novo balanço do número de vítimas mortais do atentado em Londres desta quarta-feira: Cinco mortos (incluindo o atacante) e 40 feridos.

Um dos feridos é um português de 26 anos.

O ataque começou na ponte de Westminster e só terminou junto ao Parlamento britânico.

Na ponte, o atacante acelerou para cima dos transeuntes - matando duas pessoas de imediato e ferindo gravemente pelo menos 20, uma das quais morreria mais tarde - e seguiu até ao palácio do Parlamento. Aqui, esfaqueou um polícia, que acabou por morrer no local. Ao que tudo indica, o homem tentava entrar no edifício, mas foi morto pela polícia, após tiroteio.

O polícia foi depois identificado como Keith Palmer, de 48 anos, que deixa mulher e filho:

De acordo com um comunicado das autoridades já à noite, existe uma ideia de quem poderá ser o atacante. Não serão revelados mais detalhes, nem se o atacante trabalhou sozinho ou não, para não interferir na investigação.

Uma imagem deste atacante foi entretanto divulgada:

Os relatos de que o ataque tinha sido perpetrado por dois terroristas, estando ainda um suspeito em fuga, foram desmentidos pela polícia, que no balanço à imprensa ao fim da tarde afirmou que o autor será apenas um homem, aquele que foi baleado junto ao Parlamento.

O deputado britânico e secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros, Tobias Ellwood, está entretanto a ser elogiado pelas suas ações junto ao Parlamento. O governante tentou socorrer o polícia esfaqueado.

A zona manteve-se totalmente isolada até cerca das 19:50.

"O ataque começou quando um carro foi conduzido sobre a ponte de Westminster atropelando e ferindo um número de membros do público incluindo três agentes da polícia", afirmou Mark Rowley, comissário adjunto e diretor das forças antiterrorismo. "O carro depois bateu perto do parlamento e pelo menos um homem armado com uma faca continuou o ataque e tentou entrar no parlamento".

Uma mulher que terá caído da ponte (ou se terá atirado fugindo do ataque, não é claro exatamente o que aconteceu) foi a meio da tarde retirada do Rio Tamisa. Segundo os media britânicos, está viva mas ferida.

A polícia informou desde o primeiro momento que incidente estava a ser tratado como um ato terrorista.

Pessoas atropeladas na ponte foram assistidas por outros transeuntes ainda antes de a polícia chegar ao local:

Entre os feridos estão três estudantes franceses, de 15 e 16 anos, como confirmou o primeiro-ministro francês Bernard Cazeneuve pelo Twitter. Testemunhas dizem que havia um grupo de estudantes franceses na ponte, segundo o The Guardian.

No dia em que os atentados terroristas em Bruxelas fazem um ano, o governo britânico afirmara que não havia indicações que levassem a aumentar o nível de alerta de atentado terrorista no Reino Unido. O país está no segundo nível máximo de alerta desde 2014, o que significa que considerava um ataque como "altamente provável".

As imagens do carro utilizado no ataque, após ter chocado contra as grades do Palácio de Westminster foram também divulgadas.

A estação de metro de Westminster foi encerrada a pedido das autoridades, assim como várias estradas perto do local.

O português que se encontra entre os feridos é Francisco Lopes, de 26 anos, que levou pontos na perna esquerda e na mão direita.

Funcionários e deputados do parlamento foram instruídos a ficarem dentro dos escritórios e alguns estão a ser retirados do local em segurança pela polícia.

Pelo Twitter, o editor do jornal britânico The Sun confirmou que a primeira-ministra britânica Theresa May está em segurança, citando fontes do governo.

Várias atrações turísticas foram encerradas, como o London Eye, o Madame Tussauds, London Dungeon, Shrek's Adventure! e o Southbank Centre.

Entretanto, Theresa May já se dirigiu à nação. ""Não cederemos ao terror nem permitiremos que as vozes do ódio nos separem", disse.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, disse, entretanto, já ter sido informado do incidente em Londres. "Estou a receber atualizações sobre Londres", disse Trump, ao entrar para uma reunião na Casa Branca.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG