Teste nuclear da Coreia do Norte causou deslizamento de terras

Cientistas chineses alertam para a possibilidade de colapso da montanha por baixo da qual são realizados os testes, levando à libertação da radiação

Um grupo de análise da situação norte-coreana, o 38 North, divulgou imagens que mostram vários deslizamentos de terras que terão ocorrido logo após o teste nuclear realizado por Pyongyang no passado domingo, e que causou um sismo de magnitude 6,3 na escala de Richter que foi sentido na fronteira com a China.

O sexto teste nuclear de Pyongyang foi realizado, tal como os cinco anteriores, na região montanhosa de Punggye-ri, que consiste num complexo sistema de túneis construídos sob a superfície.

Nas imagens, que foram captadas no dia a seguir ao teste, são visíveis várias áreas de gravilha e pedras deslocadas devido aos tremores. A área mais afetada foi junto à montanha Mantap, o ponto mais alto da região. Apesar do poderoso abalo, assinala a BBC, não parece ter havido qualquer colapso, ainda que alguns peritos admitam que uma das passagens subterrâneas de Punggye-ri tenha ruído.

O Governo japonês estima em 160 mil toneladas a potência do último teste nuclear da Coreia do Norte. Uma vez que os testes foram sempre realizados no mesmo local, muitos especialistas têm dúvidas quanto à longevidade das instalações: cientistas chineses alertaram esta semana para a possibilidade de a montanha colapsar, levando à libertação da radiação de futuros testes nucleares.

Exclusivos