Tem 8 anos e ficou "preso" no aeroporto de Paris

A criança viajou das Ilhas Comoros para França para se encontrar com a mãe

Um menino francês de oito anos esteve retido no aeroporto Charles de Gaulle, Paris, durante uma semana, depois de ter tentado entrar sozinho em França com identificação falsa.

A detenção ocorreu no dia 21 de março e as organizações de defesa dos direitos das crianças acusaram as autoridades francesas de quebrar as leis internacionais de proteção de menores ao impedir o menino de se juntar à família.

Segundo o The Guardian a criança, que não foi identificada, veio de avião das Ilhas de Comoros no oceano Índico, na costa oriental de África, a pedido da mãe que queria dar uma vida melhor ao filho.

Quando chegou ao aeroporto, o menor foi detido e levado para a área de espera, onde são encaminhados todos os suspeitos de entrarem ilegalmente no país e, segundo o tabloide, a criança apenas levava consigo uma mochila do Homem Aranha e um passaporte com a identidade do primo.

O tribunal de recurso francês decidiu reter o menino no aeroporto, o que causou uma grande polémica e indignação dentro das organizações de defesa das crianças. Segundo a France 24, o grupo La Voix de L'Enfant afirmou "indignação e raiva" em relação à decisão do tribunal e acusou o Governo de violar a Convenção Internacional da ONU, que diz que a prisão de uma criança deve ser uma medida de último recurso.

A advogada de defesa das crianças, Catherine Daoud, disse a uma rádio francesa que "a prisão de crianças na área de espera vai contra a convenção internacional da proteção infantil, assinada e retificada por França. Principalmente sendo uma criança tão jovem".

Segundo a lei francesa tanto os adultos como as crianças que cheguem ao país sem passaportes ou qualquer identificação podem ser retidos durante 20 dias antes de serem admitidos ou deportados.

O Ministro Francês da Administração Interna, Bernard Cazeneuve, disse que a mãe do rapaz pediu que levassem o filho para junto dela e as autoridades vão escolher um responsável para acompanhá-lo. No entanto, o processo foi atrasado por causa das férias da Páscoa.

Este não é o único caso de uma criança retida num aeroporto e, segundo Daoud, em 2014 foram detidos 259 menores em aeroportos franceses, tendo permanecido na área de espera até uma decisão ser tomada.

Exclusivos