Sonda chinesa Chang'e 5 pousa "com sucesso" na Lua

Uma sonda robô chinesa enviada para devolver rochas lunares à Terra pela primeira vez desde os anos 1970 pousou na Lua "com sucesso", anunciou o governo, somando-se a uma série de missões espaciais ousadas de Pequim.

A missão Chang'e 5 - batizada em homenagem a uma deusa da lua, de acordo com a mitologia chinesa - "aterrou com sucesso" no local planeado, informou a televisão estatal e as agências de notícias, citando a Administração Espacial Nacional da China, sem fornecer mais detalhes.

A sonda, lançada a 24 de novembro na ilha tropical de Hainan, no sul do país, é a mais recente aventura de um programa espacial chinês que colocou um humano em órbita em 2003, tem uma sonda a caminho de Marte e visa, eventualmente, colocar um humano na Lua.

O objetivo é recolher cerca de dois quilos de rochas lunares, de escavações de até dois metros de profundidade. Essas amostras serão retiradas de uma área geológica muito mais jovem do que as que foram retiradas durante as missões soviéticas e norte-americanas, devendo permitir acrescentar peças ao grande quebra-cabeças da história da Lua.

O regresso das rochas à Terra deve acontecer no início ou em meados de dezembro. Se tiver sucesso, esta será a primeira vez que cientistas vão obter novas amostras de rochas lunares desde a missão Luna 24, realizada com sucesso pela antiga União Soviética em 1976.

A televisão pública CCTV transmitiu um pequeno vídeo 'online' mostrando a sonda de 8,2 toneladas a pousar no solo lunar, enquanto os responsáveis pela missão na Terra aplaudiam o sucesso.

O voo do Chang'e 5 é a terceira aterragem lunar bem-sucedida da China -o seu predecessor, Chang'e 4, tornou-se na primeira sonda a pousar no lado mais distante e menos explorado da Lua.

Este último voo inclui a colaboração com a Agência Espacial Europeia, que está a ajudar a monitorizar a missão.

O programa espacial da China avançou com mais cautela do que a corrida espacial entre os Estados Unidos e a União Soviética, nos anos 1960, marcada por mortes e falhas nos lançamentos.

Em 2003, a China tornou-se no terceiro país a colocar um astronauta em órbita por conta própria, depois da União Soviética e os EUA, tendo lançado também uma estação espacial tripulada.

As autoridades espaciais dizem que esperam, eventualmente, por colocar um humano na Lua, mas não anunciaram qualquer prazo ou outros detalhes.

A China, juntamente com os seus vizinhos Japão e Índia, juntou-se à crescente corrida para explorar Marte.

A sonda Tianwen 1, lançada em julho, está a caminho do planeta vermelho carregando uma sonda e um robô 'rover' para encontrar água.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG