Sim, há quem dê um milhão por uma garrafa de whisky

Licitador do Extremo Oriente pagou 957 mil euros por whisky de malte de 60 anos. Valor daria para assegurar a vacinação completa de 61 150 crianças

Um milionário anónimo do Extremo Oriente pagou, nesta quarta-feira, 1,1 milhões de dólares (957 mil euros) por uma garrafa de whisky.

A garrafa em causa é um Macallan Valerio Adami 1926, de 750 mililitros, um single malt de 60 anos (destilado em 1926 e engarrafado posteriormente) que, segundo um especialista da leiloeira Bonhams, citado pelo The New York Times, "é uma das mais raras e desejáveis garrafas alguma vez produzidas". Agora é também a detentora do recorde mundial de valor atingido em leilões por esta bebida.

A título de comparação, este valor daria para imunizar 61 150 crianças. Segundo as contas da UNICEF, um plano completo de vacinação, incluindo já a proteção contra a Hepatite B e a Hib, que protege de bactérias causadoras de meningites, pneumonia e epiglotite, custa cerca de 15,65 euros por nado-vivo. De acordo com a mesma organização, mais de 30 milhões de crianças, sobretudo em países pobres, não são imunizadas, o que contribui para taxas de mortalidade infantil superiores em até 40% aos países desenvolvidos.

De acordo com o portal catawiki, o vinho mais caro alguma vez vendido em leilão foi uma garrafa de seis litros de Screaming Eagle Cabernet Sauvignon, licitada por 424 mil euros. Mas a garrafa não consta dos tops oficiais, porque o leilão tinha com destino a caridade. O que, pelos critérios das leiloeiras, não conta para as estatísticas dos valores mais absurdos pagos por bebidas alcoólicas fora do prazo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG