Serviços secretos investigam mulher que sugeriu no Twitter homicídio de Trump

Heather Lowrey já foi interrogada pelos agentes em Louisville

Agentes dos serviços secretos dos EUA estão a investigar uma mulher que sugeriu no Twitter o homicídio do presidente, Donald Trump.

Heather Lowrey já foi interrogada pelos agentes em Louisville, tendo os serviços secretos investigado o passado da utilizadora do Twitter, que terá escrito na rede social: "Se alguém foi suficientemente cruel para assassinar MKL [Martin Luther King], talvez alguém seja suficientemente bondoso para assassinar Trump".

De acordo com a agência Associated Press, Richard Ferretti disse na terça-feira que quando os serviços secretos concluírem a investigação, o relatório será enviado para o gabinete do procurador-geral dos EUA, que decidirá se Lowrey será formalmente acusada na justiça.

A lei federal proíbe ameaças ao presidente dos EUA e o crime é punível com pena de prisão até cinco anos.

Ferretti disse ainda, citado pela AP, que os internautas deveriam "pensar duas vezes" antes de usar as redes sociais.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG