Sem Fogo e Fúria mas com muito antitrumpismo

O livro de Michael Wolff sobre a administração Trump esgotou em 20 minutos no dia do lançamento. Passada uma semana, comprá-lo só online

Na montra da Kramerbooks and Afterwords convivem o último livro de Zadie Smith, Promise me Dad de Joe Biden, uma biografia de Estaline e Let Trump be Trump, escrito por David N. Bossie e Corey Lewandowski, o ex-gestor de campanha do presidente. De tudo um pouco, portanto, mas a bandeira LGBT numa placa com o nome da livraria não engana: aqui é terreno de liberais e gente de esquerda.

Passada a porta do 1517 Connecticut Avenue, logo a seguir a Dupont Circle, no coração de Washington, o olhar pousa na estante em que ao lado de Midnight Confessions, do humorista Stephen Colbert, encontramos America Has Very Nice Legs - it"s a Fact!, uma coletânea das mais famosas frases do presidente.

Longe dos olhares está Fire and Fury, o livro de Michael Wolff que tanta polémica tem gerado ao retratar o alegado caos na Casa Branca de Trump. A explicação é simples: depois de esgotar em 20 minutos naquela loja na noite do lançamento, uma semana depois continua esgotado. E quem o quer mesmo é incentivado a fazer a encomenda online.

Mas quem quiser saber mais sobre o presidente tem outras opções. Como um Guia de Sobrevivência a Trump, O Que Fazer Agora: Defender os Nossos Valores na América de Trump e The Trump Leaks do jornal satírico The Onion.

E nem a secção infantil, ao lado do bar e do café, ao fundo da livraria, escapa ao sentimento anti-Trump. Com uma prateleira em que It Takes a Village, de Hillary Clinton, divide o protagonismo com De Ti Eu Canto, Carta às Minhas Filhas, de Barack Obama, e Ruth Bader Ginsburg, the Case of RGB vs. Inequality, sobre a veterana juíza do Supremo Tribunal que aos 84 anos é símbolo de esperança para os liberais na América.

RGB, como é conhecida, é tão famosa pelas decisões judiciais como pela rotina de exercícios. Esta até tem direito ao seu próprio livro - RGB Workout, como Ela Se Mantém Forte e Você também Pode. E muitos esperam que o exercício a mantenha viva muitos anos, impedindo o presidente de mudar para o lado conservador o equilíbrio do Supremo, a mais alta instância judicial dos EUA, que define a sociedade americana.

Enviada especial a Washington

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG