Rússia nega envolvimento em ciberataque contra Yahoo

Dois agentes dos serviços secretos russos foram indiciados nos EUA pelo ataque cibernético ao gigante informático

O Kremlin negou hoje qualquer envolvimento russo em cibercrimes após os EUA indiciarem dois agentes dos serviços secretos russos pelo ataque cibernético ao gigante informático Yahoo, que comprometeu 500 milhões de contas.

"Como temos dito repetidamente, não há absolutamente qualquer envolvimento de qualquer agência russa (...), em qualquer atividade ilegal no ciberespaço", disse o porta-voz do Kremlin Dmitry Peskov aos jornalistas.

O Departamento de Justiça norte-americano anunciou na quarta-feira que indiciou quatro pessoas, incluindo dois agentes dos serviços secretos russos, pelo ataque cibernético ao gigante informático Yahoo.

De acordo com a acusação, os dois espiões russos terão "protegido, dirigido, facilitado e pagado aos piratas informáticos criminosos" para levarem a cabo ataques cibernéticos nos Estados Unidos e noutros países, incluindo o acesso a várias contas de jornalistas e funcionários do Governo russo.

Segundo a acusação, estes dois espiões, um russo e outro com dupla nacionalidade do Canadá e do Cazaquistão, terão também tentado aceder a contas de funcionários do Governo norte-americano e de empresas privadas de diversos países, incluindo dos Estados Unidos.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.