Rússia diz que não violou o tratado sobre armas nucleares

Embaixada americana em Moscovo anunciou na terça-feira que os EUA vão suspender o tratado de eliminação de armas nucleares se os russos não cumprirem as suas obrigações

A Rússia qualificou hoje de "infundadas" as acusações dos Estados Unidos de que está a violar o tratado de eliminação de armas nucleares de médio e curto alcance (INF, em inglês).

"O lado russo declarou em várias ocasiões que isso (as alegadas violações do tratado) é, para dizer no mínimo, uma invenção", disse a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, María Zajárova, em conferência de imprensa.

A diplomata indicou que na terça-feira a embaixada dos EUA em Moscovo emitiu uma nota oficial ao Ministério dos Negócios Estrangeiros russo a comunicar que os Estados Unidos "irão suspender, no prazo de 60 dias, o cumprimento do tratado, se a Rússia não cumprir com as suas obrigações".

"Recebemos esses documentos para processamento. O texto reproduz acusações infundadas, sem nenhuma base, de supostas violações do tratado pelo lado russo", disse Zajárova.

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da NATO instaram a Rússia, na terça-feira numa reunião em Bruxelas, a cumprir o tratado sobre a eliminação de armas nucleares de médio e curto alcance (INF, na sigla inglesa), sublinhando que depende de Moscovo que seja "preservado".

"Pedimos à Rússia que volte urgentemente ao cumprimento total e verificável [do tratado]. Agora, depende da Rússia preservá-lo", afirmaram os ministros, numa declaração aprovada na reunião.

Ao mesmo tempo, reconheceram que "não é sustentável" que alguns subscritores do tratado de 1987 o cumpram e outros não, referindo-se aos planos anunciados pelos Estados Unidos de dele se retirarem, devido às infrações de Moscovo.

Após a reunião dos ministros dos Negócios Estrangeiros da NATO, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, anunciou que Washington suspenderá as suas obrigações no âmbito deste tratado nuclear dentro de 60 dias, em resposta à violação pela Rússia desse pacto.

Os aliados reconheceram expressamente que Moscovo "desenvolveu e utilizou" o sistema de mísseis 9M729, que "viola o tratado INF e representa um risco significativo para a segurança euro-atlântica".

Washington sustenta que o novo sistema de mísseis SSC8 da Rússia viola o tratado da era da Guerra Fria, que proíbe todos os mísseis de cruzeiro terrestres com um alcance entre 500 e 5.500 quilómetros.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, já tinha ameaçado retirar o país do tratado assinado por Ronald Reagan e pelo líder soviético Mikhail Gorbachev em 1987.

Exclusivos