Rudy Giuliani: "Não há nada de errado em aceitar informação dos russos"

Advogado de Donald Trump admite contudo que teria aconselhado a campanha do então candidato a rejeitar ajuda da Rússia.

Antigo mayor de Nova Iorque e ex-candidato presidencial, Rudy Giulani disse este domingo que "não há nada de errado em aceitar informação dos russos" no âmbito de uma campanha eleitoral para a presidência dos EUA.

O advogado, que intervinha no programa noticioso da CNN "Estado da União", respondia às críticas feitas pelo senador republicano Mitt Romney sobre as revelações constantes do relatório Mueller sobre a existência de uma alegada conspiração entre a Rússia e a campanha de Donald Trump nas eleições presidenciais de 2016.

Romney, conhecido crítico de Trump, declarou sexta-feira que se sentia "enojado" com a multiplicidade de contactos que o relatório do procurador especial Robert Mueller diz terem existido entre elementos da campanha de Trump e figuras russas.

Verificar que norte-americanos envolvidos numa campanha eleitoral para a presidência "receberam ajuda da Rússia" constituía uma "revelação séria de quão longe nos afastámos das aspirações e princípios dos fundadores" que elaboraram a Constituição dos EUA, escreveu Mitt Romney.

Giuliani, contudo, disse à CNN que "teria desaconselhado" Donald Trump - embora "por excesso de cautela" - a não aceitar as informações fornecidas pela Rússia se tivesse sido questionado sobre isso.

A lei norte-americana criminaliza a intervenção de um país estrangeiro nas eleições dos EUA, pelo que o antigo procurador e atual analista da CNN Preet Bharara mostrou-se surpreso com a "declaração extraordinária" de Rudy Giuliani.