China saúda encontro entre EUA e Coreia do Norte

Donald Trump aceitou reunir-se com Kim Jong-un

O governo da República Popular da China saudou hoje o anúncio da reunião entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, agendada para o mês de maio.

"Saudamos os sinais positivos dados pelos Estados Unidos e pela Coreia do Norte no sentido de um diálogo direto", disse hoje o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China, Geng Shuang, numa conferência de imprensa semanal, em Pequim.

"O próximo passo é a manutenção deste momento positivo, alcançar sinergias para o trabalho conjunto no sentido de restaurar a paz e a estabilidade na península da Coreia", acrescentou.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, aceitou o convite do líder da Coreia do Norte para iniciar uma ronda de negociações sobre o programa nuclear norte-coreano.

A reunião - ao mais alto nível - foi confirmada pelo conselheiro de Segurança da Coreia do Sul, Chung Eui-yong, durante uma visita à Casa Branca.

O local do encontro ainda não foi decidido sendo que o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Pequim não se pronunciou sobre a possibilidade de a reunião se realizar em território da República Popular da China.

"A China vai continuar a desempenhar um papel positivo", na busca de uma solução negociada para a crise, disse Geng Shuang quando questionado sobre a localização da cimeira.

O mesmo responsável disse ainda que as partes envolvidas devem mostrar "coragem política e poder de decisão, envolvendo-se em contactos bilaterais e multilaterais".

Antes do anúncio do encontro de maio, o ministro dos Negócios Estrangeiros chinês defendeu o princípio da "dupla suspensão": o fim das manobras militares dos Estados Unidos e da Coreia do Sul na península coreana e, ao mesmo tempo, a paragem dos testes com armamento nuclear por parte da Coreia do Norte.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG