Reino Unido proíbe entrada de transportes vindos da Dinamarca devido a mutação do vírus

O secretário de estado britânico dos Transportes anunciou as restrições no Twitter, apesar de a OMS dizer que o comportamento do vírus encontrado em visons e em humanos ser semelhante ao novo coronavírus.

O Reino Unido impôs a proibição de entrada no país de cidadãos não britânicos vindos da Dinamarca por causa das preocupações com um surto com origem na mutação do novo coronavírus encontrada em visons e humanos.

Nesse sentido, os cidadãos do Reino Unido podem regressar da Dinamarca, mas ficam obrigados a um período de isolamento, com todos os membros de suas famílias, durante 14 dias.

As medidas foram ainda reforçadas este domingo, sendo estendidas à entrada de camiões, navios e aviões provenientes da Dinamarca. O Ministério dos Transportes justificou que a medida, que entrou em vigor esta manhã, será revista dentro de uma semana, dependendo da evolução da pandemia no estado nórdico, adianta a agência EFE.

Os condutores britânicos que vêm ou passaram pela Dinamarca podem entrar no Reino Unido, mas também terão de cumprir um período de isolamento de 14 dias com as suas famílias.

O ministério afirmou que o reforço das medidas responde a "novas informações" das autoridades dinamarquesas sobre a propagação desta nova variante do coronavírus encontrada em visons (uma espécie de marta) e que é transmitida aos humanos, tendo já infetado pelo menos 214 pessoas na Dinamarca.

As autoridades britânicas adotam estas restrições apesar de, esta semana, a Organização Mundial de Saúde ter recusado a ideia de que esta mutação possa comportar-se de forma diferente. "As provas que temos não sugerem que esta variante seja de alguma forma diferente na forma como se comporta. Talvez tenha uma assinatura genética ligeiramente diferente, mas trata-se do mesmo vírus", afirmou Michael Ryan, diretor executivo do programa de emergências sanitárias, garantindo que se está a investigar se esta nova variante terá implicações no desenvolvimento de terapias e vacinas.

As autoridades de saúde do Reino Unido optaram assim por antecipar eventuais problemas bloqueando as entradas provenientes da Dinamarca, que foram comunicadas menos duas horas antes de entrarem em vigor as novas restrições no país. "Esta decisão de agir rapidamente tem a ver com os relatos das autoridades de saúde da Dinamarca sobre surtos generalizados de coronavírus em quintas de visons. Manter a segurança pública do Reino Unido continua a ser a nossa principal prioridade", escreveu Grant Shapps, secretário de estado britânico dos Transportes, no Twitter.

As autoridades britânicas vão entretanto entrar em contacto com todas as pessoas do Reino Unido que estiveram na Dinamarca nas últimas duas semanas para garantir que vão permanecer em isolamento. A própria companhia aérea escocesa Loganair suspendeu os voos entre a Escócia e o território dinamarquês.

Refira-se que a Dinamarca anunciou o abate de cerca de 17 milhões de martas que são criadas para a indústria de peles naquele país, onde foram contabilizadas 214 pessoas infetadas com a mutação detetada nos visons.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG