Professora infetada com covid-19 morre em direto ao dar aula online

Paola de Simeone, de 46 anos, estava doente há quatro semanas mas continuava a dar aulas através do Zoom. Na semana passada, a professora universitária desmaiou perante a videocâmara e acabou por morrer.

Uma professora argentina morreu enquanto dava uma aula online aos seus alunos numa altura em que estava infetada com o novo coronavírus. Paola Regina de Simeone tinha 46 anos e era professora da Universidade Argentina de la Empresa (UADE) em Buenos Aires. Estava doente há quatro semanas, mas queria permanecer ativa enquanto a sua saúde o permitisse, como tinha explicado num tweet.

"Estou aqui há mais de quatro semanas e os sintomas não desaparecem. Um amigo disse-me que é complicado", escreveu a professora, mão de uma menina. As contas nas redes sociais foram já desativadas.

A sua morte ocorreu na tarde de quarta-feira passada. A professora, que dava aula há mais de 15 anos, falava com os alunos através da plataforma Zoom. De repente, confessou: "Não estou a sentir-me bem. Não consigo respirar." Foi então que os estudantes ouviram um barulho e deixaram de a ver. Tinha desmaiado e tudo indica, segundo o jornal Clarín, que sofreu um enfarte.

A notícia causou um profundo choque na comunidade educacional argentina. Graduada em Estudos Internacionais e Ciência Política, com especialização em Recursos Humanos, Paola de Simeone foi professora em diversas áreas da educação em instituições superiores do país.

A UADE postou uma mensagem emocionante no Twitter na qual diz: "Paola foi uma professora apaixonada e dedicada, uma excelente profissional e uma grande pessoa, com mais de 15 anos de experiência na UADE. Acompanhamos a sua família neste momento difícil, transmitindo as nossas condolências em nome desta comunidade académica. Pedimos que honrem a memória de Paola com respeito e gratidão."

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG