Príncipe Carlos preside à homenagem aos mortos nas guerras

É a primeira vez que a rainha vê o príncipe de Gales a presidir à cerimónia

O príncipe Carlos, herdeiro da coroa britânica, presidiu hoje em Londres à homenagem aos mortos nas guerras, enquanto a mãe, a rainha Isabel II, acompanhou a cerimónia de uma varanda de um edifício governamental.

É a primeira vez que a rainha vê o príncipe de Gales a presidir à cerimónia, no memorial de homenagem aos mortos de todas as guerras, na zona dos edifícios do Governo britânico.

A homenagem é feita por altura das comemorações do Dia do Armistício, que assinala o fim da I Guerra Mundial, a 11 de novembro de 1918.

Carlos presidiu igualmente a esta homenagem em 1983, quando a mãe estava em viagem pelo estrangeiro.

Desta vez, Isabel II, de 91 anos, decidiu estar junto do marido, o duque de Edimburgo, numa varanda de um dos edifícios governamentais perto do memorial, de onde viu o filho a colocar, em seu nome, uma coroa de papoilas no monumento.

O príncipe depôs a sua própria coroa de flores no memorial, tal como o filho mais velho, o duque de Cambridge, segundo na linha da sucessão ao trono, outros membros da família real e a primeira-ministra britânica, Theresa May.

Antes da deposição das coroas de papoilas, todos os assistentes, incluindo ex-combatentes, fizeram dois minutos de silêncio quando eram 11:00.

Devido à sua idade, a rainha reduziu o número de compromissos oficiais, especialmente as viagens ao estrangeiro, remetendo-os para o filho Carlos.

O marido de Isabel II, de 96 anos, anunciou a sua retirada dos compromissos oficiais no início do ano, mas em ocasiões pontuais continua a acompanhar a rainha.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG