Príncipe André diz que embaraçou família real por causa de Epstein

Duque de York falou pela primeira vez sobre a sua ligação ao milionário norte-americano acusado de crimes sexuais e que foi encontrado morto na cela em agosto.

O Príncipe André disse que embaraçou a família e que a sua conduta não foi própria "de um membro da Família Real", quando decidiu ficar em casa de Jeffrey Epstein, acusado de crimes sexuais e que foi encontrado morto na sua cela em agosto. Foi a primeira vez que o Duque de York falou sobre a sua ligação ao milionário norte-americano. Fê-lo durante uma entrevista a Emily Maitlis, da BBC, que será transmitida no sábado, às 21h00, na BBC2.

Em 2010, o príncipe foi fotografado ao lado de Epstein no Central Park - dois anos após a primeira condenação de Epstein por ter tido relações com uma menor.

O Daily Mail haveria de publicar imagens do príncipe na mansão de Epstein em Manhattan na mesma altura.

O príncipe, que de acordo com a BBC não exigiu que fossem cortadas quaisquer perguntas - a conversa decorreu no Palácio de Buckingham - hesitou nas palavras ao comentar esses tempos. "Fiquei em casa dele e isso...isso...é essa parte que...é isso que me incomoda todos os dias porque não é algo próprio de um membro da Família Real e nós tentamos manter os mais altos padrões e práticas e eu envergonhei-os""

Ao abordar esta decisão de ficar com Epstein após a primeira condenação do americano, o príncipe Andrew disse: "Era um lugar conveniente para ficar. pensei muito nisso e concluí, com toda a retrospectiva que se pode ter, que foi definitivamente a decisão errada. Mas na época eu senti que era a atitude certa e honrosa a fazer."

Na entrevista da BBC, Emily Maitlis perguntou ao príncipe sobre as alegações de Virginia Giuffre de que, em 2001, jantou com André, dançou com ele numa discoteca e acabou a fazer sexo na casa de um amigo do príncipe em Belgravia, no centro de Londres. "Não me lembro de ter conhecido essa mulher", respondeu o príncipe André . Quando questionado mais uma vez se se lembrava de ter conhecido Giuffre, disse: "Não."

Recorde-se que em 2015 o príncipe André foi citado em documentos judiciais como parte de um processo civil dos EUA contra Epstein.

Exclusivos