Portugueses que vendiam falsa cocaína em Madrid foram libertados

Ao todo, 17 portugueses pertencentes a uma mesma família tentaram vender falsa cocaína nas praças de Madrid, durante um festival, por ocasião da final da Champions. Acabaram detidos pela polícia

A polícia espanhola libertou no domingo 17 portugueses, que tinham sido detidos dois dias antes, suspeitos de estarem a vender cocaína falsa aos adeptos ingleses que foram a Madrid assistir à final da Liga dos Campeões de futebol.

Fonte da Polícia Nacional disse à agência Lusa que "a qualidade da cocaína está a ser analisada", havendo dúvidas sobre se se trata realmente daquela droga ou de uma substância idêntica que servia apenas para enganar os compradores.

Os 17 portugueses, todos da mesma família, tentavam vender falsa cocaína. Com idades compreendidas entre os 21 e os 39 anos, os indivíduos foram detidos quando tentavam vender o seu falso produto na praças Mayor, Jacinto Benavente e na Puerta del Sol aos muitos ingleses que ali acorreram para a final da Champions.

A falsa cocaína, segundo as autoridades, era um pó branco similar ao estupefaciente, que os indivíduos tinham adquirido na farmácia por 70 cêntimos e que estavam a vender por 20 euros cada dose.

Aparentemente, o negócio estaria correr bem, não fossem os polícias à paisana misturados na multidão. Quando os vendedores da falsa droga tentaram vendê-la aos polícias, foram detidos. Estão acusados de fraude e de delito contra a saúde pública.

Os detidos confessaram ter viajado expressamente de Lisboa até à capital espanhola para se dedicarem àquela atividade, segundo o El Mundo. Agora, segundo fonte do Tribunal Superior de Justiça de Madrid disse à Lusa que os 17 portugueses vão ser chamados para prestar mais declarações "nas próximas semanas ou meses".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG