Portuguesa de 29 anos esfaqueada até à morte pelo companheiro em Toulouse

Uma portuguesa de 29 anos, que trabalhava num call center, foi encontrada morta, este domingo de manhã, depois de ter sido esfaqueada pelo companheiro. O suspeito encontra-se em fuga. Crime aconteceu em Toulouse

Uma portuguesa de 29 anos foi encontrada morta este domingo de manhã, no bairro de Bellefontaine, em Toulouse, França. A vítima foi esfaqueada e estava sem vida quando o irmão e os bombeiros entraram no último andar do seu prédio naquele bairro às 08.30 (07.30 em Portugal). O suspeito do crime, o companheiro da mulher, cujo nome não foi divulgado, encontra-se neste momento em fuga.

Tudo terá começado de madrugada, quando, pelas 01.30 (00.30 em Portugal), a mulher ligou ao irmão a pedir socorro. "Ela disse-me, Bruno vem aqui! Bruno vem aqui!. Ouvi vidros a partirem-se, atrás dela. Estavam a discutir. Fui lá, bati à porta, mas ninguém abriu. Fiquei pela zona umas duas horas", contou o irmão da vítima, de 25 anos, à cadeia de rádios France Blue.

"Não consegui dormir. Estava inquieto", relatou. Algumas horas depois, o companheiro da irmã telefonou-lhe e disse-lhe. "A tua irmã está caída no chão, é preciso que venhas aqui. Fui o mais rapidamente possível". Mas já era tarde. "Ele era como um irmão para mim. Nunca imaginei que ele pudesse matá-la", desabafou, àquele site de cadeia de rádios francesas.

Ao conseguirem entrar no apartamento, Bruno e os bombeiros depararam-se com a irmã morta, esfaqueada e a filha desta, de seis anos, a dormir no quarto. "É a minha sobrinha. Aos 25 anos, vou ficar responsável por ela e fazer com que tenha a melhor vida possível", afirmou Bruno à cadeia de rádios France Blue. A vítima, refere, trabalhava num call center.

Segundo a mesma fonte, o suspeito do crime tem 30 anos e as autoridades abriram uma investigação por homicídio. Segundo o site do jornal La Dépêche, de Toulouse, o companheiro da vítima tem 26 anos e a discussão terá começado por ciúmes e suspeitas de adultério.

Em França, refere a mesma publicação, uma mulher é morta a cada três dias, em média, em casos de violência doméstica. Todos os anos, realça, 200 mil mulheres são mortas em França por violência conjugal.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG