Pompeia. Descoberto restaurante de fast food da Antiguidade preservado pelas cinzas

Chamava-se-lhes termopólios, porque serviam comida quente. No menu do dia da erupção do Vesúvio de 79 d.C. constava pratos de galinha, diversas sopas, bebidas quentes e vinho aromatizado com fava, entre outros.

Novas escavações arqueológicas em Pompeia revelaram um restaurante de 'fast-food' intacto, que permite conhecer a gastronomia e os pratos populares na cidade ao pé do Monte Vesúvio.

Segundo o diretor do Parque Arqueológico de Pompeia, Massimo Osanna, citado pela Associated Press (AP), é a primeira vez que um restaurante com bebidas quentes, conhecido como termopólio, é encontrado intacto.

Aqueles achados arqueológicos, uma espécie de 'fast-food' de rua da antiguidade, eram numerosos na antiga cidade romana, mas este é o primeiro a ser encontrado "em excecional estado de conservação".

Segundo os arqueólogos, os relevos com imagens de alimentos presentes na estrutura permitirão aprender mais sobre a gastronomia naquele local que ficou soterrado após uma erupção vulcânica do Monte Vesúvio, em 79 d.C..

Um segmento do balcão de 'fast-food' foi parcialmente desenterrado em 2019, durante os trabalhos para apoiar as ruínas de Pompeia, várias vezes em risco de desabar.

Desde então, os arqueólogos prosseguiram os trabalhos que acabaram por revelar um balcão de vários lados, com buracos largos típicos inseridos no topo e que continha recipientes fundos para alimentos quentes, não muito diferentes dos recipientes de sopa utilizados nos restaurantes atualmente.

Especialistas em plantas e animais ainda estão a analisar os artefactos encontrados no local.

A antropóloga Valeria Amoretti, que trabalha com a equipa da zona arqueológica de Pompeia, disse que "as análises iniciais confirmam que as imagens pintadas representam, pelo menos em parte, os alimentos e bebidas efetivamente vendidos no restaurante".

Por exemplo, segundo Amoretti, no fundo de um recipiente de vinho havia vestígios de grãos de fava moídos, que naquele tempo eram adicionados ao vinho, para dar sabor e clarear sua cor.

"Nós sabemos o que eles estavam a comer naquele dia", disse o diretor do Parque Arqueológico, referindo-se ao dia da destruição de Pompeia.

Os restos de comida indicavam "o que é popular entre as pessoas comuns", acrescentou Massimo Osanna, sublinhando que os restaurantes não eram frequentados pela elite romana.

Foi também descoberto o esqueleto completo de um cão, o que intrigou a equipa de escavações, uma vez que se tratava de um exemplar "extremamente pequeno de um cão adulto".

"É bastante raro", explicou Amoretti, encontrar vestígios de tempos antigos de cães tão pequenos, o que comprova "a reprodução seletiva na época romana para obter este resultado".

Também foram desenterrados uma concha de bronze, nove ânforas, que eram recipientes para guardar alimentos populares na época romana, um par de frascos e um recipiente de cerâmica para óleo.

As escavações mostraram que do lado de fora do restaurante havia uma pequena praça com uma fonte, com outro termopólio nas proximidades.

A cidade de Pompeia foi destruída pela erupção vulcânica do Monte Vesúvio, que fica perto da atual Nápoles.

Grande parte da cidade antiga ainda não foi escavada e o local é uma das atrações turísticas mais populares de Itália.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG