Polícia espanhola desmantela rede de 25 jihadistas

O grupo operava em 17 prisões espanholas, onde angariavam outros prisioneiros para a causa

A polícia espanhola anunciou hoje o desmantelamento de uma rede de 25 jihadistas detidos em 17 prisões do país que alegadamente captavam, doutrinavam e radicalizavam outros prisioneiros para a sua causa.

Agentes da Guarda Civil (força de segurança correspondente à GNR) "identificaram e interrogaram 25 detidos de diferentes prisões espanholas, acusados de fazerem parte de um grupo próximo do Daesh [acrónimo em árabe do Estado Islâmico] que se dedicava à radicalização de outros prisioneiros", revelou o Ministério da Administração Interna espanhol num comunicado de imprensa.

Esta é a primeira operação deste tipo realizada na Europa contra uma estrutura relacionada com o Daesh cuja atividade é desenvolvida em centros penitenciários, segundo a mesma informação.

O objetivo da investigação desenvolvida foi recolher provas para esclarecer a atividade do grupo investigado composto por prisioneiros com uma história de crimes de terrorismo jihadista e outros detidos cujo processo de radicalização começou durante a sua estadia na prisão.

A rede terrorista comunicava entre prisões através do correio, utilizando detidos cuja correspondência não era revistada pelas autoridades penitenciárias.

A maioria dos investigados não alcançou os objetivos de reinserção social pretendidos e, pelo contrário, mantiveram-se ativos na sua militância jihadista, aumentando a sua radicalização durante a permanência na prisão.

A existência deste grupo é vista como um risco potencial para a segurança, ainda mais se for tomado em consideração que vários dos investigados iriam ser postos em liberdade em breve.

Exclusivos