Pfizer e Moderna testam vacinas contra nova variante do vírus

Nova estirpe do vírus responsável pela covid-19 gera preocupação na Europa. A BioNTech garante que em seis semanas pode fornecer uma vacina adaptada à nova mutação, caso seja necessário.

A nova variante do SARS-CoV-2 detetada no Reino Unido e na África do Sul está a causar uma onda de preocupação na Europa, com vários países a suspenderem voos e a restringirem a entrada de passageiros nos seus países. Os laboratórios farmacêuticos Pfizer e Moderna consideram que as vacinas são eficazes contra a nova estirpe, mas já anunciaram testes adicionais de modo a tentar perceber a resposta que os fármacos fornecem face a esta nova mutação do vírus, noticia a CNN.

"Com base nos dados até ao momento, esperamos que a imunidade induzida pela vacina Moderna seja protetora contra as variantes descritas recentemente no Reino Unido", refere o laboratório, em comunicado divulgado pela estação de televisão.

Ainda assim, a farmacêutica norte-americana - cuja vacina vai ser avaliada pela Agência Europeia do Medicamento a 6 de janeiro, tendo sido já aprovada pelo regulador dos EUA -, refere que vai realizar "testes adicionais nas próximas semanas para confirmar esta expectativa."

A Pfizer, por outro lado, fez saber que está a recolher dados, através das amostras de sangue de pessoas imunizadas com a sua vacina, para perceber até que ponto são "capazes de neutralizar a nova estirpe do Reino Unido".

O laboratório alemão BioNTech fez saber, entretanto, que poderá disponibilizar uma vacina adaptada à nova variante do vírus detetada no Reino Unido "em seis semanas".

Ugur Sahin, cofundador do laboratório alemão, citado pela AFP, afirmou que é "altamente provável" que a vacina contra a covid-19 seja eficaz contra a nova variante do vírus, mas podem adaptar a fórmula, caso seja necessário.

"Tecnicamente somos capazes de fornecer uma nova vacina em seis semanas", disse Ugur Sahin.

"A beleza da tecnologia do RNA mensageiro é que podemos diretamente começar a conceber uma vacina que imita fielmente a nova mutação", afirmou.

Esta não é a primeira vez que se registam mutações no novo coronavírus e tanto a Pfizer como a Moderna afirmam que são eficazes contra outras variantes do SARS-CoV-2, refere a CNN.

Refira-se que a vacina da Pfizer, desenvolvida em parceria com a farmacêutica alemã BioNTech foi aprovada, esta segunda-feira, pela Agência Europeia do Medicamento e a sua administração vai começar a 27 de dezembro em Portugal, de acordo com a ministra da Saúde Marta Temido. As campanhas de vacinação deste fármaco já começaram no Reino Unido e nos EUA.

Com AFP

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG