Patrick Quinn, cofundador do desafio do balde de gelo, morre aos 37 anos

Patrick Quinn sofria de esclerose lateral amiotrófica e morreu este domingo. Com Peters Frates, lançou o desafio do balde de gelo que correu mundo, com o propósito de angariar fundos para a investigação da doença.

Patrick Quinn, cuja batalha pessoal contra a esclerose lateral amiotrófica (ELA) ajudou a impulsionar a campanha de arrecadação de fundos do desafio do balde de gelo, morreu este domingo aos 37 anos, sete após o diagnóstico da doença.

Quinn, que nasceu e cresceu em Yonkers, Nova Yorque, foi cofundador da campanha que arrecadou mais de 185 milhões de euros para pesquisas médicas sobre a esclerose lateral amiotrófica, mais conhecida por Doença de Lou Gehrig.

Foi diagnosticado com a doença a 8 de março de 2013.

"É com grande tristeza que anunciamos o falecimento de Patrick esta manhã", lamentaram os seus apoiantes na sua página Facebook "Quinn for the Win". "Sempre nos lembraremos dele pela sua inspiração e coragem na luta incansável contra a ELA."

Milhares de comentários prestam condolências à família de Quinn, expressando gratidão pelo destaque que ele deu à doença e à necessidade de se encontrar uma cura.

O desafio do balde de gelo tornou-se viral nas redes sociais no verão de 2014. Surgiram vídeos e fotos de todo o mundo de pessoas que jorravam baldes de água gelada na cabeça e desafiavam outros a seguirem o exemplo enquanto pediam doações para pesquisas de ELA.

Quinn está indicado com o colega ativista da ELA, Peter Frates, para "Personalidade do Ano" da revista Time. Frates morreu no ano passado, aos 34 anos, sete após o diagnóstico.

Entre as personalidades que se associaram ao Ice Bucket Challenge por todo o mundo esteve o futebolista português Cristiano Ronaldo.

Mas também outros, como Bill Gates:

O ator Patrick Stewart:

Ou até Donald Trump, que nomeou Barack Obama:

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG