Parlamento aprova nova lei do trabalho, após onda de protestos

O projeto de lei foi aprovado sem votação no parlamento

O polémico projeto de lei sobre a reforma laboral francês foi hoje automaticamente aprovado, depois de o Governo do Presidente, François Hollande, ter acionado um mecanismo constitucional, que evita a votação no parlamento.

"Por não ter sido apresentada nenhuma moção de censura (...) o projeto de lei é adotado em leitura definitiva", anunciou o presidente da Assembleia Nacional, Claude Bartolone.

Perante a falta de maioria absoluta ente os deputados para conseguir a aprovação do texto, o primeiro-ministro, Manuel Valls, recorreu quarta-feira, pela terceira vez, ao artigo 49.3 da Constituição que permite que não exista votação.

O artigo abre a porta a apresentação de uma moção de censura, mas os deputados que se opõem à reforma laboral não a apresentaram.

A nova lei do trabalho francesa provocou protestos, manifestações e greves.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG