Pandemia pode gerar mais 25 milhões de desempregados

A Organização Internacional do Trabalho estima que a crise atual pode gerar uma grande quebra no emprego mas aponta que uma resposta coordenada internacionalmente pode mitigar o impacto.

A Organização Internacional do Trabalho, instituição da ONU, estima que as consequências do novo surto de coronavírus podem causar quase 25 milhões de desempregados e quebras até 3,4 mil milhões de dólares em receitas até ao final deste ano.

A agência sediada em Genebra disse que "uma resposta política coordenada internacionalmente" poderá ajudar a mitigar essas perdas por meio da proteção dos trabalhadores, estímulos fiscais e apoio a empregos e salários.

A OIT apresentou vários cenários sobre o impacto do Covid-19 na economia, estimando um aumento no desemprego mundial entre 5,3 milhões e 24,7 milhões de pessoas. Estes números acrescem aos 188 milhões estimados que a agência tinha previsto no final do ano passado na sua previsão anual.

A agência observou ainda que a última crise financeira global aumentou o desemprego no mundo em 22 milhões de pessoas.

"As quedas no emprego também significam grandes perdas de rendimento para os trabalhadores", realçou a OIT ao apresentar a sua avaliação preliminar.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG