Pais filmados a despedirem-se das filhas de 7 e 9 anos que vão cometer um atentado suicida

Pelo menos uma das meninas terá conseguido realizar o atentado

Foram divulgados nas redes sociais vídeos que mostram um casal sírio a despedir-se das filhas antes de as mandarem realizar atentados bombistas suicidas. As imagens mostram o pai a dar as últimas instruções às meninas de 7 e 9 anos e a mãe a dar-lhes um abraço de despedida.

Islam, de sete anos, e Fatimah, de nove anos, aparecem no primeiro vídeo, aparentemente gravado dentro de casa, vestidas com hijabs, em frente a ums bandeira preta e branca. Estão ao lado do pai, que foi identificado como sendo Abu Nimr, um antigo combatente da Jabhat al-Nusra, um grupo que pertencia à Al-Qaeda, segundo o jornal Al Arabiya.

"Vocês não vão ter medo porque vão para o céu, certo?", pergunta o pai, segundo o Daily Mail, após dar algumas instruções às meninas. Elas respondem "sim".

As meninas dizem Allahu Akbar (Deus é grande) a pedido do pai e eles rezam todos juntos, enquanto se ouve uma música de fundo.

Pelo menos uma das crianças terá sido bem sucedida, segundo o jornal sírio, que liga Islam ao atentado numa esquadra, em Damasco na passada sexta-feira. Este ataque foi cometido por uma menina de sete anos que trazia um cinto de explosivos que foi acionado à distância.

De acordo com declarações da polícia, a menina parecia perdida e pediu para usar a casa de banho da esquadra pouco antes da explosão, que provocou três feridos.

No segundo vídeo as meninas aparecem já sem o hijab, vestidas com calças, casacos e gorros e a dar um último beijo e abraço à mãe, que tem uma burka.

Segundo o Daily Mail, quando o homem que grava o vídeo perguntou à mãe das meninas porque as estavam a mandar para a morte tão novas, a mulher respondeu: "ninguém é demasiado novo no que toca à jihad e todos os muçulmanos devem participar".

A autenticidade do vídeo foi confirmada por ativistas sírios que reconheceram Abu Nimr, segundo o Al Arabiya.