Obama pede a candidatos que rejeitem insultos e violência durante a campanha

O presidente dos Estados Unidos da América, Barack Obama, apelou hoje aos candidatos para rejeitarem "insultos" e "violência" durante a campanha para as eleições presidenciais no país.

Obama falava na sequência de incidentes verificados na sexta-feira em Chicago, onde houve confrontos entre apoiantes e opositores do aspirante a candidato pelo Partido Republicano Donald Trump, que acabou por cancelar um comício previsto na cidade.

"Os candidatos à Casa Branca deveriam concentrar-se no que podem fazer para que a campanha corra bem. Não devem fazer insultos, nem provocações, nada de divisões com base na raça ou na religião e, sobretudo, nada de violência contra outros americanos", defendeu Barack Obama após uma reunião no Texas.

Donald Trump tem sido criticado pela retórica incendiária, nomeadamente ataques feitos aos mexicanos e aos muçulmanos, que, segundo os seus adversários, provoca tensões.

O comício previsto para sexta-feira numa universidade de Chicago acabou por ser cancelado porque os manifestantes, muitos deles hispânicos e negros, entraram em confronto físico.

Registaram-se cinco detenções e dois polícias ficaram feridos quando tentaram separar os grupos e evacuar a sala.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG