O mistério dos marinheiros infetados com covid após 35 dias no mar

Contágios ocorreram apesar de todos os tripulantes terem sido testados antes de partirem para o mar e de terem cumprido 14 dias de quarentena num hotel da cidade de Ushuaia.

A Argentina está a tentar resolver um mistério médico depois de 57 marinheiros terem ficado infetados com covid-19 após 35 dias no mar, apesar de toda a tripulação ter testado negativo antes de sair do porto.

A traineira Echizen Maru regressou a terra depois de alguns dos seus tripulantes terem revelado sintomas típicos da covid-19, explicou à AFP o ministro da Saúde da província de Tierra del Fuego. Segundo o governante, dos 61 tripulantes, 57 foram diagnosticados com o novo coronavírus após terem realizado novo teste.

Isto apesar de todos terem sido testados antes de partirem para o mar e de terem cumprido 14 dias de quarentena num hotel da cidade de Ushuaia.

Dois dos marinheiros tiveram mesmo de ser hospitalizados.

"É difícil estabelecer como é que esta tripulação ficou infetada, tendo em conta que durante 35 dias não tiveram contacto com terra firme e que apenas receberam mantimentos do porto de Ushuaia", explicou Alejandra Alfaro, diretora geral de saúde de Tierra del Fuego.

Para já, uma equipa está a analisar a cronologia dos sintomas na tripulação para estabelecer a "cronologia do contágio". Quanto a Leandro Ballatore, diretor do departamento de infecciologia do hospital regional de Ushuaia, acredita que este é "um caso que escapa a qualquer descrição feita nas publicações especializadas, porque um período de incubação tão longo nunca foi descrito em lado nenhum".

Colocada em isolamento no navio, a tripulação foi depois levada para terra, tendo regressado ao porto de Ushuaia.

A Argentina regista até agora mais de cem mil infetados e perto de 1900 mortos por covid-19. A maior parte dos casos concentra-se na área da capital, Buenos Aires.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG