Novos casos impulsionados por pessoas de 20, 30 e 40 anos. A maioria não sabe que está doente, diz OMS

"A epidemia está a mudar", alerta a OMS, que admite preocupação com o aumento de novos casos, impulsionados por pessoas mais jovens e assintomáticas.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) admitiu preocupação devido ao facto de a nova vaga de infeções por covid-19 estar a ser impulsionada por pessoas das faixas etárias dos 20, 30 e 40 anos, sendo a maioria assintomática. Muitas não sabem que estão infetadas colocando em risco de contágio os mais vulneráveis da população, alerta a agência da saúde das Nações Unidas.

"A epidemia está a mudar", avisou Takeshi Kasai, diretor da região do Pacífico Ocidental da OMS. "As pessoas nos 20, 30 e 40 anos estão cada vez mais a impulsionar a transmissão. Muitos não sabem que estão infetados. Isto aumenta o risco de contágio aos mais vulneráveis", sublinhou, citado pela Reuters. Os idosos e os doentes em zonas densamente povoadas e com fracos sistemas de saúde estão entre os mais expostos à pandemia.

"O que estamos a observar não é simplesmente um ressurgimento"

O alerta da OMS surge numa altura em que se regista um aumento de novas infeções em vários países que tinham a situação epidemiológica estabilizada. É o caso do Vietname, que até há pouco tempo esteve durante largas semanas sem casos de transmissão no país.

Perante os novos surtos, têm sido aplicadas mais restrições para travar o contágio do novo coronavírus.

"O que estamos a observar não é simplesmente um ressurgimento. Acreditamos que seja um sinal de que entramos numa nova fase da pandemia na Ásia-Pacífico ", disse Kasai.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG