Novo livro de Sarkozy tem dois erros na mesma página

Ex-presidente francês evocou um debate entre Barack Obama e George W. Bush que não existiu e enganou-se nos detalhes sobre a prisão de Nelson Mandela.

Nikolas Sarkozy, líder d'Os Republicanos (ex-UMP), lançou ontem um novo livro para resgatar a sua imagem e promover uma potencial candidatura às eleições presidenciais de 2017 em França.

'La France por la Vie' (França para Sempre - em tradução livre) foi bastante falado nas redes sociais, mas não propriamente pelos motivos que o ex-chefe do Estado francês desejaria: segundo o jornalista Matthieu Foulkes, da AFP, o livro contém dois erros, ambos na mesma página, a número 73.

Aí Sarkozy elogia a relação harmoniosa entre os políticos dos EUA: "A democracia norte-americana é muito mais harmoniosa do que a nossa. Fiquei impressionado pela decisão de Barack Obama em inaugurar, pessoalmente, a fundação para a liberdade do seu antecessor George Bush apesar de a campanha entre eles ter sido excecionalmente violenta".

O ex-líder francês parece referir-se à biblioteca e museu presidencial de George W. Bush em Dallas. Problema? W. Bush nunca foi candidato contra o democrata Obama. Em 2009, o candidato dos republicanos foi John McCain e, nas presidenciais de 2012, foi Mitt Romney.

Algumas linhas mais à frente, Sarkozy escreve sobre Mandela, primeiro presidente negro da África do Sul e herói da luta contra o regime racista branco do Apartheid. " A visita à prisão de Robben Island perturbou-me. 28 anos numa cela tão pequena para o grande Mandela". Problema? Madiba, como era carinhosamente conhecido o ex-líder do ANC entre os sul-africanos, esteve preso na ilha de Robben Island 18 anos. Os restantes anos cumpriu-os nas cadeias de Pollsmoor e Victor Verster. No total, Mandela, que morreu a 5 de dezembro de 2013, com 95 anos de idade, esteve preso durante 27 anos.

Exclusivos