Nova Zelândia. Cadeia de supermercados dedica uma hora a pessoas autistas

Uma cadeia de supermercados da Nova Zelândia anunciou esta quarta-feira que vai passar a dedicar uma "hora tranquila", durante o horário de funcionamento, para adaptar o ambiente a pessoas autistas com problemas de ansiedade.

Durante a "hora tranquila", a intensidade dos sons do rádio, as caixas registadoras e a luz serão reduzidas, minimizando as atividades da equipa para repor as prateleiras ou recolher os carros de compras, indicou a cadeia Countdown.

A medida, que vai entrar em vigor a 23 de outubro na maioria dos supermercados da cadeia, ocorre após um programa piloto implementado no ano passado, por sugestão de uma criança com autismo.

A diretora executiva da organização Nova Zelândia Autismo, Dane Dougan, que desenvolveu a ideia com os responsáveis da cadeia de supermercados, explicou que a "natureza invisível" do autismo dificulta a compreensão da condição e a consciencialização da sociedade sobre os problemas enfrentados diariamente pelas pessoas com autismo.

"Estamos emocionados com o facto de a Countdown oferecer uma 'hora tranquila' nas suas lojas", sendo que a medida sublinha "que pequenas mudanças podem criar um ambiente mais inclusivo, com um impacto significativo nas pessoas", defendeu.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.