Sete turistas sul-coreanos mortos em naufrágio na Hungria. Há 21 desaparecidos

Barco levava 33 passageiros, que não usavam colete salva-vidas, e dois elementos da tripulação. Acidente aconteceu no rio Danúbio junto ao Parlamento húngaro. Polícia abriu um inquérito. Navio virou e afundou em sete segundos.

Um barco turístico afundou-se esta quarta-feira em Budapeste, junto ao Parlamento húngaro. Na sequência deste acidente no rio Danúbio, pelo menos sete turistas sul-coreanos morreram e haverá ainda 21 desaparecidos, segundo informaram as autoridades húngaras. Ao todo iam no barco 35 pessoas (30 turistas sul-coreanos, três guias e dois elementos da tripulação húngaros). Foram retiradas das águas 14 pessoas, sete delas mortas.

O barco turístico colidiu com outra embarcação e afundou-se. A corrente no Danúbio estava muito forte, por causa de uma tempestade em Budapeste.

A polícia húngara está a investigar o naufrágio. "Foi aberto um inquérito criminal. A polícia está a investigar no local", disse o coronel Adrian Pal aos jornalistas, em Budapeste. O mesmo responsável indicou que o navio virou e afundou em sete segundos.

De acordo com a agência de viagens de Seul que organizou a deslocação dos turistas, as sete pessoas resgatados são "seis mulheres e um homem, com idades entre os 31 anos e os 66 anos de idade".

No local estiveram mergulhadores que tentam resgatar passageiros que caíram ao rio. A forte chuva dificultou as operações de resgate durante a noite.

O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, emitiu uma ordem para colaborar com o governo húngaro nas buscas. Uma equipa de resgate está entre os 18 responsáveis que a Coreia enviou para Budapeste. Ajuda psicológica à família das vítimas será também fornecida.

O chefe da diplomacia da Coreia do Sul disse que os turistas não levavam coletes salva-vidas na altura do acidente, segundo informações prestadas pelos diplomatas de Seul em Budapeste.

O ministro dos Negócios Estrangeiros acrescentou, que de acordo com informações que recolheu junto de diplomatas sul-coreanos na capital da Hungria, em geral, os passageiros não costumam usar coletes salva-vidas quando realizam viagens a bordo de embarcações turísticas no Danúbio, na zona da cidade de Budapeste.

Uma rapariga de seis anos está entre os turistas sul-coreanos que embarcaram no navio turístico envolvido na colisão, mas até ao momento não se conhecem as identidades das sete vítimas mortais.

O barco afundado foi identificado como "Hableany" (Sereia) e é descrito pela companhia de visitas guiadas como "um dos mais pequenos da frota". Tem dois conveses e capacidade máxima para 60 pessoas ou 45, se for para passeios turísticos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG