Faltam localizar 13 portugueses e não há registo de vítimas mortais

Dos 91 cidadãos portugueses que era necessário contactar, falta localizar 13

O secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, declarou que não há portugueses entre as vítimas do ciclone Idai que provocou 242 mortos na cidade da Beira, em Moçambique, avança a TSF.

"Na lista das vítimas mortais que tem o instituto nacional de gestão de calamidades não há registo de portugueses", disse José Luís Carneiro.

Segundo o secretário de Estado das Comunidades, faltam contactar 13 dos 91 cidadãos portugueses que estariam por localizar. Destes muitos perderam as suas casas. "Há muitos [portugueses] que estão em pensões, outros que estão em hotéis e outros que estão em casas de amigos e sem comunicações", explica o secretário de Estado das Comunidades.

O ciclone tropical, que atingiu Moçambique, o Zimbabwe e o Malawi na passada sexta-feira, está a revelar-se o pior da última década, na região do sudoeste do Índico. Só em Moçambique, morreram 242 pessoas, indica o último balanço feito esta quinta-feira à tarde. E tudo indica que os números desta tragédia vão continuar a subir. O presidente moçambicano, Filipe Nyusi, afirmou que os mortos podem vir a ser mais de mil.

Há ainda cerca de 15 mil pessoas que precisam de ser resgatadas. Numa altura em que também os centros de desalojados começam a ficar sem mantimentos. O ministro da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural do país, ​​Celso Correia, indicou que 30% destes pontos de ajuda estão já sem recursos alimentares.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG