Morreu Boutros-Ghali, antigo secretário-geral da ONU

Boutros-Ghali foi o sexto secretário-geral da ONU entre janeiro de 1992 e dezembro de 1996

Boutros Boutros-Ghali, o antigo secretário-geral da Organização das Nações Unidas, morreu esta terça-feira, avança a BBC. O diplomata egípcio morreu num hospital nos arredores do Cairo, aos 93 anos, refere o diário Al Ahram na sua edição eletrónica.

Boutros Boutros-Ghali foi o sexto secretário-geral da ONU entre janeiro de 1992 e dezembro de 1996. O seu nome chegou a ser mencionado como um dos possíveis sucessores de Hosni Mubarak, após a queda deste em 2011 na sequência de um movimento de contestação popular.

A notícia foi também conhecida de imediato na sede da ONU, em Nova Iorque, tendo o Conselho de Segurança guardado um minuto de silêncio esta manhã.

Boutros-Ghali nasceu a 14 de novembro de 1922 na capital egípcia e estudou Direito em Paris. Esteve ligado ao Partido Nacional Democrático (no poder no Egito até 2011), de que foi dirigente até ser escolhido para dirigir a ONU. Foi ainda vice-presidente da Internacional Socialista.

O diplomata participou na cimeira de Camp David, de que resultaram os acordos entre Israel e o Egito em 1979.

Era membro da Igreja Copta Ortodoxa de Alexandria, a que pertencem cerca de 95% dos cristãos egípcios - a mais antiga e maior comunidade cristã do Médio Oriente conta com mais de oito milhões de membros.

Exclusivos