Ministro da Educação de Bolsonaro quer que escolas filmem alunos a cantar o hino

Em circular enviada a todos os estabelecimentos de ensino do Brasil é recomendada ainda a leitura de um texto que termina com o slogan de campanha do hoje presidente: o Brasil acima de tudo, Deus acima de todos.

O ministro da educação do Brasil, Ricardo Vélez, enviou uma circular para todas as escolas do país a pedir que filmem os seus alunos a cantar o hino nacional e enviem o vídeo para o governo.

Na mesma circular, Vélez pede também para que seja lido o seguinte texto. "Brasileiros! Vamos saudar o Brasil dos novos tempos e celebrar a educação responsável e a qualidade a ser desenvolvida na nossa escola pelos professores, em vosso benefício, alunos, que constituem a nova geração". Para concluir com o slogan de campanha de Bolsonaro: "O Brasil acima de tudo, Deus acima de todos".

As críticas à iniciativa de Vélez não se fizeram esperar na imprensa, que consideram, como o colunista do jornal O Globo Bernardo Mello Franco, a atitude própria de ditaduras e não de democracias. Ou chamam, como o articulista Ranier Bragon no jornal Folha de São Paulo, Vélez de "ministro da falta do que fazer".

Entidades ligadas ao ensino e especialistas em educação engrossaram as críticas à circular do ministro.

O PSOL, partido de extrema-esquerda, ameaça entretanto processar o ministro por crime de responsabilidade. E até o movimento Escola Sem Partido, muito ligado a Bolsonaro, comparou a circular às atitudes ideológicas do governo de Lula.

Vélez chegou ao executivo de Jair Bolsonaro por sugestão de Olavo de Carvalho, filósofo radicado nos Estados Unidos conhecido por ser o guru da nova direita brasileira e que defende, entre outras teses, o fim do que chama de ofensiva marxista cultural.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG