Mickey e a Minnie da Disney World acusam turistas de "toques impróprios"

Apalpões e pedidos de beijos e até mãos por dentro dos fatos levaram vários funcionários que dão vida a personagens a fazer queixa à polícia pelo comportamento inadequado de quem visita os parques temáticos da Disney.

Os homens e mulheres que vestem os fatos das personagens da Disney como a Minnie, o Mickey Mouse e o Pato Donald fizeram queixa na polícia devido ao comportamento "impróprio" dos turistas que visitam a Disney World em Orlando, nos EUA.

A mulher que veste a máscara de Mickey Mouse foi mesmo obrigada a ser assistida no hospital depois de ter ficado com ferimentos no pescoço, tudo por acusa de uma avó que decidiu acariciar a cabeça da personagem, mas de forma muito insistente. Os funcionários que vestem os fatos da Minnie Mouse e do Pato Donald foram apalpados por turistas, de acordo com relatórios da esquadra de polícia de Orange.

Em novembro, um homem de 51 anos foi preso depois de um funcionário que vestia o fato de uma princesa da Disney ter dito aos investigadores que o turista lhe apalpou o peito enquanto tirava uma foto.

Um homem de 61 anos do Minnesota foi também identificado como tendo tido "uma interação inadequada com um membro do elenco [de personagens da Disney]" e a Disney tomou medidas para banir o homem de todos os parques temáticos do grupo.

"Todos se devem sentir seguros no trabalho, e incentivamos os membros da equipa a denunciar qualquer situação desconfortável", disse a porta-voz da Disney, Andrea Finger, em comunicado citado pela BBC.

A funcionária que se queixou da avó acabou por dizer à polícia que a mulher não a terá magoado propositadamente, e a família diz que a idosa estava só a tentar explicar ao neto de dois anos que não deveria ter medo dos bonecos.

Também o funcionário que veste o fato do Pato Donald foi "atacado" por uma turista de 60 anos que perguntou se o podia beijar. O funcionário de 18 anos concordou mas a mulher começou a tocar e a agarrar os braços, o peito, a barriga e o rosto da personagem. Quando tentou pedir ajuda a um colega, a turista seguiu-o e colocou "freneticamente" as mãos dentro da roupa do boneco, descreve o relatório do incidente.

O funcionário acabou por não apresentar queixa e disse à polícia que acredita que a mulher podia sofrer de demência.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG