Merck condenada a recuperar fórmula antiga de medicamento para a tiroide

O tribunal francês decidiu a favor dos pacientes que processaram a farmacêutica alemã por ter mudado a fórmula de um medicamento para doenças da tiróide

Os pacientes franceses que processaram a Merck exigindo que a fórmula antiga do medicamento Euthyrox fosse reposta ganharam a primeira batalha. O tribunal da relação de Toulouse deu-lhes razão, confirmando a decisão da primeira instância.

O caso tem um ano. A Merck decidiu mudar a fórmula do medicamento que usa Levothyrox, batizado em França com o nome de Euthyrox, destinado a curar doenças da tiroide. Os pacientes queixaram-se de efeitos secundários como alterações de humor, de sono e problemas gástricos, entre outros e, apesar de ter passado o crivo do regulador francês, 500 mil pacientes deixaram de o tomar começando a procurar farmácias estrangeiras ou outros tratamentos.

Foram interpostos vários processos judiciais e a ministra da saúde de França, Agnès Buzyn, pediu ao laboratório para importar para França a fórmula antiga.

A Merck aceitou, avisando que o faria até os stocks acabarem, em 2018, mas não além disso, uma posição que a decisão do tribunal fará mudar.

O que a decisão do tribunal de Toulouse vem confirmar é que estes 32 pacientes que interpuseram o processo judicial têm direito ao Euthyrox, com a fórmula antiga, abrindo a esperança para os 100 mil pacientes que desejam a fórmula de Levothyrox.

Este medicamente existe em Portugal com o nome de Eutirox, mas a Merck "conitnua a disponibilizar a formulação antiga", disse o Infarmed ao DN.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG