Maioria dos espanhóis contra a realização de novas eleições

Segundo sondagem divulgada pelo 'El País', se houvesse hoje novas legislativas, o PSOE seria o único partido a perder votos

A maioria dos espanhóis querem que os partidos façam um esforço para conseguir um acordo de governo e evitem novas eleições. 61% dos inquiridos numa sondagem Metroscopia, para o 'El País', são favoráveis a um entendimento entre as formações políticas do país, 33% apenas preferem ir às urnas novamente para votar em legislativas.

As de 20 de dezembro não deram uma maioria absoluta clara a nenhum partido político. A formação mais votada foi o Partido Popular do primeiro-ministro ainda em exercício, Mariano Rajoy, em segundo lugar ficaram os socialistas liderados por Pedro Sánchez, seguidos do Podemos de Pablo Iglesias e do Ciudadanos de Albert Rivera, que conquistaram, respetivamente, a terceira e a quarta posição.

A sondagem ontem publicada por aquele jornal espanhol, realizada com base em 1200 entrevistas feitas entre os dias 12 e 14, revelou que o PP voltaria a ganhar as eleições, mas ficando novamente aquém da maioria absoluta. Naquele escrutínio, o PP obteve 28,7% dos votos e se as eleições legislativas fossem hoje conseguiria chegar a 29%. O PSOE, que em dezembro teve 22%, ficar-se-ia agora pelos 21,1%. O Podemos subiria de 20,7% para 22,5% e o Ciudadanos de 13,9% para 16,6%. Assim, dos quatro partidos, os socialistas seriam os únicos a descer.

Estes números surgem numa altura em que o rei Felipe Vi se prepara para encetar hoje consultas com representantes de 15 partidos. Destes, apenas a Esquerda Republicana da Catalunha se recusou a participar nas consultas levadas a cabo pelo monarca para designar um candidato a primeiro-ministro. Isto depois de o filho de Juan Carlos se ter recusado a receber na semana passada a presidente do Parlamento catalão, Carme Forcadell, que é membro daquele partido independentista de esquerda.

Felipe VI começará por ouvir os partidos com menor representação e passará, depois, aos maiores. Assim, Pablo Iglesias, Pedro Sánchez e Mariano Rajoy serão todos recebidos na próxima sexta-feira, entre as 10.00 e as 17.00 (mais uma hora do que em Lisboa). Segundo o Palácio da Zarzuela, apenas a cadeia de televisão pública TVE e a agência EFE poderão estar presentes no Salão de Audiências para recolher imagens dos encontros.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG