Partido de Macron perde a maioria absoluta que tinha na Assembleia Nacional

Um grupo de 17 deputados dissidentes do La République en Marche! formou o grupo "Ecologia Democracia Solidariedade". Presidente conta com outros apoios.

O La République en Marche! (LREM) do presidente francês perdeu esta terça-feira a maioria absoluta na Assembleia Nacional, na sequência da criação de um novo grupo parlamentar, formado por dissidentes do partido de Emmanuel Macron.

Composto por 17 deputados, o novo grupo político, o nono no parlamento francês, foi hoje oficializado, anunciaram os deputados fundadores à agência de notícias AFP.

Numa declaração política escrita pelos deputados dissidentes, eleitos pelo partido de Macron, o novo grupo batizado "Ecologia Democracia Solidariedade" afirmou ser "independente", "nem na maioria, nem na oposição".

O novo grupo - que inclui Matthieu Orphelin, próximo de Nicolas Hulot, ex-ministro da Transição Ecológica de Macron, além de antigos membros da ala esquerda como Aurélien Taché e Cédric Villani (que foi candidato à câmara de Paris contra o LREM) - pretende contribuir para uma "transformação social e ecológica".

Com a criação da nova formação política, o partido de Macron fica reduzido a 288 deputados, perdendo a maioria absoluta, por um deputado. No início do mandato eram 314.

O partido de Macron continua no entanto a poder encontrar apoios entre meia centena de deputados de outros partidos centristas -- nomeadamente o MoDem de François Bayrou --, e poderá recuperar rapidamente a maioria absoluta, com a chegada de uma suplente, que deverá substituir um deputado demissionário.

A Assembleia Nacional é a câmara baixa do parlamento francês, sendo os seus membros eleitos por sufrágio universal direto, com os mesmos poderes que o Senado, a câmara alta, cujos membros são eleitos por escrutínio indireto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG