Macron "nada mudou" e a França continua submetida à Alemanha

Derrotada nas presidenciais, Marine Le Pen critica atuação do chefe de Estado na cimeira europeia

A líder da extrema-direita francesa, Marine Le Pen, afirmou hoje que o presidente Emmanuel Macron "não conseguiu mudar nada" na sua estreia na cimeira europeia, em que a França "se submeteu uma vez mais às exigências" da Alemanha.

"Não conseguiu nada sobre os trabalhadores deslocados nem sobre a concorrência desleal de países terceiros", afirmou Le Pen numa entrevista às televisões BFMTV e RMC, aludindo ao Conselho Europeu de 22 e 23 deste mês.

"É a primeira deceção para os que acreditam que Emmanuel Macron irá mudar alguma coisa", acrescentou Le Pen, cuja campanha das presidências francesa de maio, apoiada pela Frente Nacional (FN) e em que saiu derrotada, centrou-se maioritariamente nos ataques à ação da União Europeia (UE).

Por seu lado, a campanha de Macron nessas mesmas eleições apoiou-se num discurso europeísta, defendendo "uma Europa que proteja" os cidadãos.

Hoje, na entrevista, Marine Le Pen, sem adiantar datas, indicou que, em breve, irá comparecer diante do juiz que investiga o alegado emprego fictício da sua secretária, remunerada pelo Parlamento Europeu (PE) e que trabalhava também em assuntos partidários da líder da FN.

"Se for considerada culpada não irei demitir-me", garantiu a eurodeputada e também deputada na Assembleia Nacional francesa iniciada terça-feira.

Exclusivos