Líder de seita que diz ser reencarnação de Cristo detido no Rússia

Durante 30 anos o líder do grupo religioso atraiu músicos, médicos, professores e até um ex-ministro da Bielorrússia. Acabou preso com dois dos seus assessores, um deles um ex-membro de uma boyband da era soviética.

Sergei Torop, também conhecido como Vissarion, é um ex-polícia de trânsito russo e há mais de trinta anos o líder de uma seita que acredita que o seu chefe é a reencarnação de Jesus Cristo. A imagem é semelhante: Torop usa longas barbas e cabelos compridos. Esta semana acabou detido, juntamente com dois dos seus mais importantes seguidores.

A Rússia revelou que irá ser acusado de organização religiosa ilegal, alegando que a seita extorquia os seus seguidores - e eram mais de quatro mil , a viver em aldeias remotas na Sibéria -, e que estes eram vítimas de abusos emocionais.

Torop, de 59 anos, foi detido e levado de helicóptero numa operação que envolveu agentes do serviço de segurança FSB da Rússia, conta o Guardian. O seu braço direito, Vadim Redkin, foi um ex-baterista de uma boyband da era soviética e também foi detido, assim como outro assessor, Vladimir Vedernikov.

Torop deixou de ser polícia em 1989 e disse ter vivido um "despertar" quando o regime soviético começou a entrar em colapso. Em 1991, fundou um movimento agora conhecido como "Igreja do Último Testamento".

De acordo com a AFP, os convertidos incluem músicos, médicos, professores, oficiais do Exército Vermelho, um ex-ministro da Bielorrússia e cidadãos de Cuba, Bulgária, Bélgica, Austrália e Alemanha. Na década de 1990, alguns dos devotos de Vissarion morreram por suicídio ou como resultado de condições de vida difíceis e por falta de cuidados médicos.

"Eu sou a palavra viva de Deus pai"

"Eu não sou Deus. E é um erro ver Jesus como Deus. Mas eu sou a palavra viva de Deus pai. Tudo o que Deus quer dizer, ele diz através de mim ", disse Vissarion em entrevista ao Guardian em 2002.

Questionado pela AFP como sabia que era o filho de Deus, Vissarion disse, em 2009: "Senti algo a surgir violentamente dentro de mim que tinha sido contido até então."

A seita segue uma filosofia que se baseia em rituais extraídos do Cristianismo Ortodoxo, mas também tem preocupações ambientais. O veganismo é imposto e o uso de dinheiro proibido entre os fiéis.

Para os seguidores de Torop, o calendário só começa a contar a partir de 1961, o ano do nascimento de Vissarion, como também é conhecido, enquanto o Natal foi substituído pelo dia 14 de janeiro, o aniversário do líder.

As autoridades russas nunca tinham incomodado nem o líder da seita nem os seus seguidores. Não se sabe o que terá motivado estas detenções, mas alguns meios de comunicação russos revelaram que a comunidade liderada por Vissarion estava envolvida num conflito que a opunha a interesses comerciais locais.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG