Khalid, Ibrahim e Najim. Foram identificados os terroristas dos atentados em Bruxelas

Khalid e Ibrahim são irmãos. E repetem um padrão. Os Abdeslam atacaram Paris, os Kouachi atacaram o Charlie Hebdo. Najim está ligado aos atentados de Paris

Dois irmãos de apelido El Bakraoui, que tinham já ficha na polícia mas não por terrorismo, foram identificados entre os alegados bombistas suicidas dos atentados de terça-feira no aeroporto de Zaventem, em Bruxelas, informou hoje a emissora pública RTBF.

Um deles, Khalid, tinha alugado, com uma identidade falsa, a casa na Rue du Dries, no bairro de Forest, onde no passado dia 15 de março ocorreu um tiroteio em que um dos suspeitos morreu e outros dois fugiram, incluindo Salah Abdeslam, implicado nos atentados de Paris e que acabou por ser posteriormente detido.

Khalid e Ibrahim El Bakraui, ambos de Bruxelas, estavam nos registos da polícia por atos de vandalismo, mas não por crimes ligados a terrorismo, esclarece a RTBF.

Os dois irmãos repetem um padrão que se tornou familiar nos últimos meses: o dos irmãos jihadistas, dos Kouachi, que atacaram o Charlie Hebdo, aos Abdeslam, dos atentados de 13 de novembro em Paris.

O terceiro suspeito e as ligações a Paris

Najim Laachraoui é apontado como o terceiro homem no ataque ao aeroporto de Bruxelas pela semelhança entre algumas imagens divulgadas. Esta manhã, houve informações de que havia sido detido em Anderlecht, um subúrbio de Bruxelas, mas essa informação foi posteriormente desmentida pela polícia.

O homem de 24 anos, que cresceu no bairro de Schaerbeek, em Bruxelas, já era procurado pela polícia depois do seu ADN ter sido encontrado numa casa usada pelos terroristas do atentado de Paris. Também foram encontradas impressões digitais de Laachraui na casa do bairro de Bruxelas de Schaerbeek, onde as autoridades acreditam que foram fabricados os cintos de explosivos usados em Paris.

Foi identificado esta segunda-feira como sendo "um novo suspeito" de ter participado nos atentados terroristas de Paris. É mais conhecido pelo nome falso de Sufiane Kayal, nascido a 18 de maio de 1991, que viajou para a Síria em fevereiro de 2013.

O suspeito terá arrendado, sob a identidade falsa, uma casa no Sul da Bélgica onde terão sido preparados os atentados em Paris.

O suspeito estava também num carro que foi controlado a 9 de setembro de 2015 na fronteira austro-húngara, viajando com Salah Abdeslam e Mohamed Belkaïd, um argelino de 35 anos que foi abatido numa operação policial, na terça-feira, em Forest.

Terroristas usaram pelo menos três carros

Pelo menos três carros foram usados pelos alegados terroristas de Bruxelas para o duplo atentado de terça-feira: um táxi, um Renault Clio e um Audi S4 preto, avança hoje o diário belga "La Libre Belgique".

Um Audi, de cor escura e sem matrícula, com três ou quatro indivíduos no interior, foi visto no aeroporto, imediatamente depois dos atentados. Segundo o diário, a pista conduz a uma pessoa de Limburgo, província de Liége, com 22 anos e que já esteve sob observação dos serviços secretos no ano passado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG