Johnny Hallyday e Victor Hugo em homenagem a vítimas do Charlie Hebdo

Segurança marcou cerimónias que assinalam um ano dos ataques ao jornal satírico e a uma mercearia judaica de Paris.

O pontapé de saída para as homenagens em memória das vítimas dos atentados do ano passado em França foi dado hoje com o descerramento de uma placa comemorativa perto de um carvalho plantado na Praça da República, em Paris.

A placa evocativa, de acordo com os jornalistas da agência France Presse, foi revelado pela presidente da câmara de Paris, Anne Hidalgo, e o presidente, François Hollande, tinha um texto onde se lia: "Em memória das vítimas dos atentados terroristas de janeiro e novembro de 2015 em Paris, Montrouge e St.Denis. Aqui mesmo a França presta-lhes a sua homenagem".

Num local com bastante segurança e na presença de muitos familiares das vítimas, o cantor Johnny Hallyday começou um pequeno concerto cantando Un Dimanche de Janvier (Um Domingo de Janeiro), que evoca a marcha republicana de 11 de janeiro de 2015 em Paris.

Durante esta iniciativa, foi também lida uma aloucação do escritor Vcitor Hugo, originalmente proferida a 5 de setembro de 1870, quando retornou do exílio: "Salvar Paris é mais do que salvar a França, é salvar o mundo. Paris é o centro da humanidade. Paris é a cidade sagrada. Um ataque em massa a Paris é um ataque a toda a humanidade".

O primeiro-ministro francês, em entrevista ao canal France 2, afirmou que "é preciso enfrentar o terrorismo, porque estamos em guerra contra o jihadismo, mas com este espírito de união".Para Manuel Valls, "há que ter compaixão, mas ao mesmo tempo ter a força de dizer que estamos aqui, estamos vivos".

Este dia de celebração conclui uma semana em memória das vítimas dos ataques de janeiro, que fizeram 17 mortos, e dos de 13 de novembro, nos quais perderam a vida 130 pessoas, na zona de Paris.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG