Joalheiro das celebridades detido no Reino Unido por acusações de fraude

O empresário e multimilionário indiano foi detido esta terça-feira e deverá ser apresentado a tribunal na quarta-feira. Procurado pelo governo indiano e pela Interpol enfrenta acusações como conspiração criminal, fraude e lavagem de dinheiro.

Nirav Modi, o empresário multimilionário que lançou a sua própria marca de joalharia, foi detido em Londres esta terça-feira, segundo as autoridades britânicas, e deve comparecer em tribunal no dia 20 de março. A detenção foi feita em nome das autoridades indianas que tinham pedido a sua extradição em agosto do ano passado.

O empresário indiano fugiu do seu país em fevereiro de 2018 e não retornou à Índia desde então. A imprensa britânica acredita que Modi tenha estado na capital britânica a viver desde junho desse ano.

O multimilionário indiano vai comparecer, esta quarta-feira, no Tribunal de Magistrados de Westminster, responsável por analisar os casos extradição.

Procurado pelo governo indiano e pela Interpol por conspiração criminal, quebra de confiança, fraude e desonestidade, incluindo entrega de propriedade, corrupção, lavagem de dinheiro, peculato e quebra de contrato. Nirav Modi é ainda suspeito de ter estado envolvido naquela que foi a maior fraude bancária da Índia, no segundo maior banco estatal da Índia, Banco Nacional de Punjabnum, e que atingiu um montante de 1,7 mil milhões de euros.

Nirav Modi é um dos homens mais ricos da Índia, avaliado pela Forbes numa fortuna que excede os mil milhões de euros. Lançou a sua própria marca de joalharia, que partilha o seu nome. As suas joias foram usadas por celebridades como Kate Winslet e Rosie Huntington-Whiteley. E a atriz Priyanka Chopra é a cara da sua campanha publicitária.

Depois da imprensa britânica ter descoberto, no início do mês, que o empresário indiano vivia num apartamento em Londres no valor de cerca de 9 milhões de euros, o seu caso voltou a estar na ordem do dia.

A detenção de um dos maiores procurados pelo governo indiano acontece pouco depois de maior partido da oposição indiana ter usado a sua fuga como uma arma contra o partido no governo, o Partido do Povo Indiano. As próximas semanas trazem as eleições parlamentares para os indianos e uma extradição bem-sucedida pode impulsionar a posição do partido no poder e eliminar estas criticas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG