Isabel II fala em reconciliação após um ano "cheio de solavancos"

O discurso de Natal da rainha é transmitido às 15.00 de dia 25 de dezembro.

A rainha Isabel II vai defender o valor da harmonia e reconciliação na sua mensagem de Natal deste ano, revelou o Palácio de Buckingham nesta terça-feira, depois de um ano "cheio de solavancos" para a sua família e para o Reino Unido em pleno processo de Brexit.

O palácio divulgou dois pequenos extratos do discurso televisivo da monarca de 93 anos, que será emitido às 15.00 do Dia de Natal. Num dos excertos, a rainha fala sobre a importância da reconciliação, no final de um ano em que se assinalou o 75.º aniversário do Dia D.

"Para o 75.º aniversário dessa batalha decisiva, num verdadeiro espírito de reconciliação, aqueles que antes tinham sido inimigos juntaram-se numa celebração amistosa em ambos os lados do Canal, colocando as suas anteriores diferenças para trás das costas. Ao estar dispostos a pôr as diferenças passadas para trás e ao seguir em frente juntos, honramos a liberdade e democracia que foi ganha para nós com um custo tão grande", irá dizer a monarca.

Num novo annus horribilis para a monarca, não se sabe se Isabel II vai mencionar alguns dos aspetos mais dolorosos para a família real, como a polémica da ligação do príncipe André ao milionário norte-americano acusado de pedofilia Jeffrey Epstein, que morreu na prisão antes de ser julgado. Uma mulher, que teria 17 anos na altura dos factos, diz que terá sido forçada a ter sexo com o próprio príncipe, algo que ele nega.

Junto com o problema com o filho, a rainha viu o marido, de 98 anos, envolvido num acidente de carro em janeiro, enquanto os netos William e Harry tiveram um desentendimento público. Foi a rainha que, em 1992, descreveu aquele ano como um "annus horribilis", depois de ter visto colapsar os casamentos de três dos seus filhos, incluindo o do príncipe Carlos com a princesa Diana, e de um incêndio ter destruído parte do castelo de Windsor.

Sobre a reconciliação, a rainha fala de como "pequenos passos dados com fé e com esperança podem permitir superar as diferenças antigas e divisões profundas para trazer harmonia e entendimento". E acrescenta: "O caminho, é claro, não é sempre tranquilo, e muitas vezes este ano sentimos cheio de solavancos, mas pequenos passos podem ser dados e podem fazer toda a diferença".

Os jornais britânicos debruçaram-se sobre os pormenores dos excertos partilhados pelo Palácio de Buckingham, assim como da imagem divulgada, cujo foco são as fotografias que mostram a linha de sucessão. Há foto do seu pai, o rei Jorge VI, do marido, o duque de Edimburgo (que teve alta do hospital a tempo do Natal), assim como do príncipe Carlos e de Camila, e do príncipe William com Kate e os três filhos.

A coleção de fotografias não inclui o príncipe Harry nem de Meghan, que foram pais de Archie este ano, ao contrário do que aconteceu no ano passado, que incluía uma foto do casamento de ambos.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG