Irmão de Laachraoui condena atentado: "Não percebi as mudanças"

Um fez-se explodir em Bruxelas, outro treina para representar a Bélgica nos Jogos Olímpicos

"Não queria acreditar que era ele, mas não escolhemos a nossa família". As palavras são de Mourad Laachraoui, que esta semana descobriu que o seu irmão Najim foi um dos bombistas suicidas do aeroporto de Bruxelas. Mourad seguiu um caminho completamente oposto: foi no centro de treino em que se prepara para os Jogos Olímpicos do Rio que falou sobre o irmão.

"Ele condena veementemente e de forma inequívoca as ações de seu irmão", explicou o advogado de Mourad, garantindo que a família está destroçada e que não suspeitava das intenções de Najim. "Ele vive um momento muito difícil. Mourad não é responsável pelas ações de seu irmão. É vergonhoso e lamentável."

Mourad Laachraoui, de 20 anos, atleta de Taekwondo, quer defender as cores da Bélgica nos Jogos. Diz-se triste e esmagado pelos acontecimentos desta semana. Questionado sobre o irmão, descreveu Najim Laachraoui como "bom" e "especialmente inteligente", como "todos os irmãos", diz o atleta, quatro anos mais novo.

"É uma loucura, nasceram na mesma família, receberam a mesma educação e um torna-se todo branco e outro muito, muito negro", disse o advogado do desportista na conferência de imprensa.

Ambos os irmãos frequentaram uma escola católica de Bruxelas e eram bons alunos, sem problemas disciplinares, escreve o jornal Liberation. Mas enquanto um foi para a Síria, combater pelo Estado Islâmico, o outro representava a Bélgica em campeonatos do mundo. Foi em 2013, quando Najim foi para a Síria, que perderam o contacto.

"Não percebi mudanças", diz Mourad sobre a radicalização do seu irmão, insistindo que não tinha ideia do que se passava. "Não sou um psicólogo", concluiu. Mourad admitiu que a sua família está destroçada, mas que Najim continua a ser o seu irmão.

Exclusivos