Uma camisola, uma criança negra e a palavra macaco. E assim nasceu a polémica

Camisola da H&M vestida por criança negra em que se lê "macaco" gera polémica

A marca de roupa sueca H&M está a ser alvo de críticas nas redes sociais, depois de ter utilizado um modelo infantil para vestir uma camisola em que se lê "o macaco mais fixe da selva", numa fotografia que estava exposta no catálogo online da loja no Reino Unido.

Nas plataformas digitais, como o Twitter, são várias as partilhas da imagem com comentários de desaprovação relativamente à escolha de publicidade da marca, considerada racista. Não só pela camisola em questão, mas também pelo contraste com a camisola vestida pelo modelo branco, com as palavras "especialista em sobrevivência" estampadas.

"Isto é nojento. É uma projeção de um pensamento neocolonialista. Não me voltarão a ver perto destas lojas", lê-se num dos muitos comentários indignados.

Muitos defendem que "não é possível que os diretores de publicidade possam ser tão negligentes e pouco conscientes" no ano em que nos encontramos.

Charles Brown, colunista do The New York Times, também fez questão de mostrar o seu descontentamento. "Perderam o juízo?!", lê-se na sua página do Twitter.

A foto foi entretanto retirada do site.

Em comunicado enviado ao DN, a H&M esclarece que "esta imagem foi removida de todos os canais H&M e pedimos desculpa a todas as pessoas que se possam ter sentido ofendidas".

Ler mais

Exclusivos