Trump diz que Steve Bannon "enlouqueceu"

Presidente dos EUA reage às críticas do ex-conselheiro, que serão divulgadas num novo livro

Donald Trump diz que o ex-conselheiro e estratega da Casa Branca Steve Bannon"enlouqueceu". Isto porque Bannon afirmou, segundo um livro a que o Guardian teve acesso, que a reunião do filho do Presidente dos EUA com russos, durante a campanha, foi "traição" e "anti-patriótica".

"Steve Bannon não tem nada a ver comigo ou a minha presidência. Quando foi despedido, não perdeu apenas o trabalho, perdeu também a cabeça", afirmou Trump em comunicado, citado pelo Washington Post.

"Steve finge estar em guerra com os media, aos quais ele chama partido da oposição e, no entanto, passou o seu tempo na Casa Branca a divulgar informação falsa aos media para fazer parecer que era mais importante do que o que realmente era. É a única coisa que ele faz bem", acrescenta o líder norte-americano.

Revelações explosivas de "fogo e fúria"

Bannon é citado num novo livro, a que o jornal Guardian teve acesso, com revelações que classifica como explosivas.

Foi em declarações ao autor do livro, que se intitula "Fire and Fury: Inside the Trump White House" ("Fogo e Fúria", a mesma expressão usada por Trump para ameaçar a Coreia do Norte em agosto), que Bannon falou sobre a investigação do FBI às alegações de conluio entre a campanha de Trump e autoridades russas. "Vão esmagar o Don Junior como um ovo, na televisão nacional", foi a previsão de Bannon.

Segundo o jornal britânico, o livro é baseado em mais de 200 entrevistas com o presidente e com os que lhe são mais próximos na administração. Bannon é citado extensivamente e muitas vezes com "linguagem colorida", para descrever o clima dramático e facadas nas costas dentro da Casa Branca.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).