Três portugueses agredidos na Croácia por outros portugueses

Amigos consideram que foram espancados por terem sido identificados como adeptos do clube azul e branco, já que dois envergavam camisolas do FC Porto.

Três portugueses foram agredidos, nesta quarta-feira à tarde, em Hvar, na Croácia, onde estão de férias, por outros portugueses. O motivo terá sido as camisolas do FC Porto que dois deles vestiam.

Rafael Barbosa, um dos agredidos, contou ao Jornal de Notícias que estavam a passear na rua quando um grupo de portugueses os interpelou. Pensaram que os conheciam e decidiram cumprimentá-los. "Um dos meus amigos tentou cumprimentar um dos rapazes do outro grupo e, de repente, um deles atacou-o com um soco", disse Rafael Barbosa.

"Como estávamos com mochilas, pensei que nos queriam assaltar. Só depois de nos insultarem, chamando-nos tripeiros de m**** e filhos da p***, é que percebemos que tudo poderia estar relacionado com futebol", explica o jovem de 26 anos, natural do Porto.

O português conta ainda que tentaram fugir, mas foram perseguidos. Acabaram por entrar num bar, onde ficaram cerca de uma hora até deixarem de avistar os agressores.

O trio esteve num centro de saúde local para observação e já apresentou queixa na polícia. Os jovens devem regressar a Portugal no domingo.

Ler mais

Exclusivos

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.